CDS defende a tripolaridade da Universidade dos Açores
Plano e Orçamento 2019

A deputada Rute Gregório criticou, esta terça-feira, no âmbito da discussão do Plano e Orçamento da Região para 2019, o “insignificante valor proposto pelo Governo Regional para apoiar a tripolaridade” da Universidade dos Açores, que “permanece idêntico pelo menos desde 2012”.

Para a deputada do CDS, Rute Gregório, a Universidade dos Açores (UAc), é “parceira essencial do investimento em conhecimento, inovação e desenvolvimento”, pelo que “os argumentos governamentais de que são dados muitos apoios àquela instituição, nomeadamente no âmbito do funcionamento dos centros de investigação, das prestações de serviço no quadro de projetos internacionais do Fundo Regional de Ciência e Tecnologia ou, e muito particularmente, no contexto dos Projetos de Investigação”, não são válidos, uma vez que, para o CDS, o “citado financiamento paga exatamente os fins a que se propõe: funcionamento dos centros e a gestão financeira dos projetos”, não contemplado, deste modo, a tripolaridade da universidade.

“O apoio específico à tripolaridade traduz-se apenas naquele que é inscrito para esse efeito no âmbito do orçamento, e este valor, pelo tempo passado, pelos cálculos que a própria UAc realizou é manifestamente insuficiente” – assegurou a deputada centrista.

Rute Gregório questionou, neste sentido, “se vamos continuar a assistir a este jogo do empurra entre o Governo Central e o Governo Regional, sobre quem é que deve assumir as despesas da tripolaridade” e “se vamos continuar a assistir, distanciados e indiferentes, ao incumprimento de compromissos assumidos pelo Governo da República com a nossa Universidade, nomeadamente no âmbito do Plano de Recuperação Financeira e no âmbito do “Compromisso com a Ciência e o Conhecimento” em 2016”.  


CDS Açores
27-11-2018
Comunicação
Categoria: CDS Açores

voltar